Capítulo 12 – O CURRÍCULO DO ESPÍRITO SANTO/III

Resultado de imagem para insetos bonitos
III - O investimento na realidade

1. Uma vez eu te pedi que vendesses tudo o que tinhas, que o desses aos pobres e me seguisses. O que eu queria dizer era isso: se não tens nenhum investimento em coisa alguma desse mundo, podes ensinar aos pobres onde está o tesouro que lhes pertence. Os pobres são simplesmente aqueles que investiram de forma errada e eles, de fato, são pobres! Posto que estão em necessidade te é dado ajudá-los, já que estás entre eles. Considera com que perfeição a tua lição seria aprendida se não estivesses disposto a comparti-lhar essa pobreza. Pois pobreza é falta e existe apenas uma falta, uma vez que existe apenas uma necessi-dade.

2. Suponhas que um irmão insista para que faças algo que achas que não queres fazer. A própria insistên-cia do teu irmão deveria dizer-te que ele acredita que a salvação está nisso. Se insistes em recusar e vi-vencias uma reação rápida de oposição, estás acreditando que a tua salvação está em não fazer isso. Nes-se caso, estás cometendo o mesmo equívoco que ele e estás fazendo com que o seu erro seja real para os dois. Insistência significa investimento e aquilo em que investes está sempre relacionado com a tua no-ção de salvação. A questão sempre se divide em duas: em primeiro lugar, o que tem que ser salvo? E em segundo lugar, como pode ser salvo?

3. Sempre que ficas com raiva de um irmão, por qualquer motivo que seja, estás acreditando que o ego tem que ser salvo e salvo pelo ataque. Se ele ataca, estás concordando com essa crença e, se tu atacas, estás reforçando-a. Lembra-te que aqueles que atacam são pobres. A pobreza dos teus irmãos pede dádi-vas, não mais empobrecimento. Tu, que poderias ajudá-los, com certeza estás agindo de maneira destru-tiva se aceitas a sua pobreza como tua. Se não tivesses investido como eles, nunca te ocorreria não ver a necessidade dos teus irmãos.

4. Reconhece o que não importa e se os teus irmãos te pedem algo “ultrajante”, faze, precisamente por-que não importa. Recusa e a tua oposição estabelece que isso importa para ti. Contudo, foi apenas tu que fizeste com que o pedido fosse ultrajante e todo pedido de um irmão é para ti. Por que insistirias em ne-gar-lhe? Pois fazê-lo é negar a ti mesmo e empobrecer a ambos. Ele está pedindo salvação assim como tu. A pobreza é do ego e nunca de Deus. Nenhum pedido “ultrajante” pode ser feito a alguém que reconhece o que tem valor e não quer aceitar nenhuma outra coisa.

5. A salvação é para a mente e é obtida através da paz. Essa é a única coisa que pode ser salva e esse o único caminho para salvá-la. Qualquer resposta, que não seja o amor, nasce de uma confusão a respeito do “o que” e do “como” da salvação e essa é a única resposta. Nunca percas isso de vista e nunca te permi-tas acreditar, mesmo por um instante, que existe outra resposta. Pois com certeza irás colocar-te entre os pobres, que não compreendem que vivem na abundância e que a salvação já veio.

6. Identificar-se com o ego é atacar a si mesmo e tornar-se pobre. É por isso que cada um que se identifi-ca com o ego se sente destituído. O que ele vivencia, então, é depressão ou raiva, porque o que fez foi trocar o amor ao seu Ser pelo ódio a si mesmo, fazendo com que tenha medo de si próprio. Ele não se dá conta disso. Mesmo se está completamente ciente da ansiedade, não percebe a fonte do problema como a sua própria identificação com o ego e sempre tenta lidar com isso fazendo algum tipo de “arranjo” insano com o mundo. Ele sempre percebe esse mundo como algo exterior a ele, pois isso é crucial ao seu ajusta-mento. Ele não reconhece que faz esse mundo, pois fora dele não existe qualquer mundo.

...

9. O mundo que percebes é um mundo de separação. Talvez estejas disposto a aceitar até mesmo a morte para negar o teu Pai. Entretanto, Ele não quis que fosse assim e por isso não é assim.

Ainda não podes ter uma vontade contrária à Sua e é por isso que não tens controle sobre o mundo que fizeste. Não é um mundo de vontade porque é governado pelo desejo de ser diferente de Deus e esse de-sejo não é vontade. O mundo que fizeste é, portanto, totalmente caótico, governado por “leis” arbitrárias, sem sentido e sem qualquer significado. Pois é feito de coisas que não queres, projetadas a partir da tua mente porque tens medo delas. Entretanto, esse mundo está apenas na mente daquele que o fez, junto com a sua salvação real. Não acredites que ele esteja fora de ti, pois só reconhecendo onde ele está terás controle sobre ele. Pois tu, na realidade, tens controle sobre a tua mente, já que a mente é o mecanismo da decisão.

10. Se reconheceres que todo o ataque que percebes está em tua própria mente e em nenhum outro lugar, terás afinal localizado a fonte do ataque e ali onde ele começa tem que terminar. Pois nesse mesmo lugar está também a salvação. É lá o altar de Deus onde Cristo habita. Tu profanaste o altar, mas não o mundo. No entanto, Cristo colocou a Expiação sobre o altar para ti. Traze a esse altar as tuas percepções do mun-do, pois é o altar à verdade. Lá terás a tua visão mudada e lá aprenderás a ver verdadeiramente. Deste lugar, onde Deus e Seu Filho habitam em paz e onde tu és bem-vindo, olharás para fora em paz e con-templarás o mundo verdadeiramente. Contudo para achares o lugar, tens que abandonar o teu investi-mento no mundo conforme o projetas, permitindo ao Espírito Santo estender o mundo real para ti a par-tir do altar de Deus.

Comentários

Encontros em UCEM

Nossos encontros acontecem em Brasília, a 2 km do balão do aeroporto, nas quartas-feiras de 16 às 18 horas, e quintas-feiras de 19 às 21 horas, gratuitamente.
Entre em contato com Ana Liliam em analiliamventura@gmail.com e (61)98153-8369.