Lição 1 – Nada do que eu vejo…significa coisa alguma.


Imagem relacionadaNada do que eu vejo nesse quarto (nessa rua, dessa janela, nesse lugar) significa coisa alguma.

A idéia é olhar em volta – sem julgamento – para estes objetos prosaicos em nosso mundo: uma mesa, cadeira, mão, pé, caneta, porta, corpo, lâmpada, cartaz, sombra. Note como Jesus se esgueira pelo corpo; o ponto é perceber que você normalmente pensaria que sua mão é mais importante que uma caneta, ou que seu corpo é mais importante que uma lâmpada. Não há ninguém que não acredite nisso. Assim, você precisa perceber como está vindo para Um Curso em Milagres com um conjunto de premissas dos quais você nem está ciente, uma hierarquia de valores que mantém sobre o mundo. É por isso que Jesus nos instrui no texto:

"Aprender esse curso requer disponibilidade para questionar todos os valores que manténs. Nenhum pode ser mantido oculto e obscuro sem pôr em risco o teu aprendizado. Nenhuma crença é neutra. Todas têm o poder de ditar cada decisão que tomas. Pois uma decisão é uma conclusão baseada em todas as coisas nas quais acreditas. É o resultado da tua crença e decorre dela com tanta certeza quanto o sofrimento se segue à culpa e a liber­dade à impecabilidade. (T-21.in.2:1-6)"

Esta primeira lição, que parece tão simples, senão simplória, se você não entendê-la realmente, contém o sistema de pensamento completo de Um Curso em Milagres. Não há diferença entre qualquer das coisas neste mundo. Elas são todas igualmente a mesma porque elas são todas parte da ilusão, refletindo o mesmo sistema de pensamento de separação, o que em si mesmo é irreal. Como você sabe pelo seu estudo do texto, a primeira lei do caos, a fundação do sistema de pensamento do ego e do mundo, é que existe uma hierarquia de ilusões (T-23.II.2:3). Se acredito que meu corpo ou mão é mais importante que uma lâmpada, estou claramente dizendo que existe uma hierarquia de ilusões. Novamente, seria difícil, se possível afinal, encontrar alguém neste mundo que não compartilhe a crença nesta hierarquia, ou que ao menos penso sobre ela como uma questão. Desse modo, se você deralgum pensamento sério para isso, se tornará claro para você que toda sua vida é baseada em uma mentira – a primeira lei do caos que diz que existe uma hierarquia de ilusões.

Pulando para o parágrafo 3:

"(3:1-2) Nota que estas declarações não estão agrupadas em nenhuma ordem e não fazem nenhuma distinção quanto às diferenças entre os tipos de coisas às quais são aplicadas. Esse é o propósito do exercício."
Isso não quer dizer que você deveria desistir de seu investimento em seu corpo ou em sua mão. Preferencialmente, o propósito destas reflexões é te ajudar a tomar consciência de como, mesmo neste nível bem básico você está refletindo o sistema de pensamento do ego. Essas lições são humilhantes se pensar profundamente sobre elas porque elas te ajudam a perceber o quanto sua vida vai contra tudo o que Um Curso em Milagres está ensinando. Isto significa que existe uma parte de você que não quer aprender este curso, porque existe uma parte de você que não quer abrir mão de sua vida. Você não quer andar por aí acreditando que sua mão é tão sem significado como uma caneta, porque você acredita que existe um corpo que é real, e que você está realmente aqui no mundo. Se você acredita nisso, como todos acreditamos, você não pode acreditar na realidade de Deus. Em outras palavras, a primeira parte do livro de exercícios tem como seu propósito, como já nos foi dito, desfazer a maneira que percebemos e pensamos. Isso define o tom do que seguirá.

"(3:2-4) Esse é o propósito do exercício (nos fazer perceber que não há diferenças). A declaração deve ser meramente aplicada a qualquer coisa que vês. Ao praticares a idéia do dia, usa-a com total indiscriminação."

Isto é o que generalização significa. Obviamente Jesus não espera que pratiquemos este exercícios com total indiscriminação: se pudéssemos, não precisaríamos dessas lições. A idéia é estar ciente de como não praticamos isso em nossas vidas, mesmo quando estamos especificamente tentando praticar. Quando fizer esta lição, portanto, você deveria realmente pensar sobre se você está verdadeiramente pronto para dizer que “esta mão é tão sem significado quanto uma caneta”. E se você acredita que pensa que elas são o mesmo, pegue uma caneta e quebre-a, e então sua mão e quebre-a. De repente você vai perceber que você acredita que existe uma real diferença. Esta não é certamente a intenção de fazer você sentir-se culpado, mas te ajudar a perceber seu investimento na identificação com o sistema de pensamento de separação.

"(3:5-7) Não tentes aplicá-las a tudo o que vês, pois estes exercícios não devem se tornar ritualísticos. Apenas certifica-te de que nada do que vês seja especificamente excluído. Qualquer coisa é como qualquer outra no que concerne à aplicação da idéia."
Seria muito fácil ir por aí para tudo na sala e olhar para diferentes partes do seu corpo e dizer: “Isto não significa nada”. Mas então você está apenas fazendo-o como um ritual. Basicamente, um ritual te deixa desatento, o que é a razão das pessoas gostarem deles. Uma amiga uma vez disse que gostava de recitar o rosário porque ela não tinha que pensar. Você apenas faz. Jesus está te falando para não fazer isso com o livro de exercícios. Não o faça em um ritual. Rituais são desenhados para te manter desatento. Este é um curso cujo propósito é te fazer atento (mindfull). Retornaremos repetidamente para este tema do perigo potencial dos rituais.

É fácil esquecer aqui como Jesus está sendo “esgueirante”. Ele parece estar nos dizendo que esta idéia é apenas para esta lição. O que ele não está nos dizendo é que Um Curso em Milagres em si só repousa neste princípio!

"(4) Cada uma das três primeiras lições não deve ser praticada mais do que duas vezes por dia, de preferência pela manhã e à noite. Também não se deve tentar fazê-las por mais de um minuto, aproximadamente, a menos que isso implique em uma sensação de pressa. Uma sensação confortável de lazer é essencial."

Conforme fizer essas lições você deveria sentir Jesus dizendo a você: “Isso deveria ser feito suavemente. Não crucifique a si mesmo com elas. Não tente fazê-las perfeitas. Não se sinta culpado quando você acreditar que falhou. Não faça sua prática em um ritual obsessivo. Você deveria sentir-se confortável com estes exercícios.” Sua ternura torna-se um dos princípios significantes do livro de exercícios, e integrar esta bondade delicada em nossas vidas é uma das mais importantes lições que poderíamos querer aprender. Jesus nos fornece um maravilhoso modelo.

Comentários

Encontros em UCEM

Nossos encontros acontecem em Brasília, a 2 km do balão do aeroporto, nas quartas-feiras de 16 às 18 horas, e quintas-feiras de 19 às 21 horas, gratuitamente.
Entre em contato com Ana Liliam em analiliamventura@gmail.com e (61)98153-8369.