Observações do capítulo 3

"Percepção x conhecimento, desejo x vontade, autoridade, Expiação x sacrifício"

A Expiação não requer sacrifícios. Deus desconhece o mau e não pune seus filhos, nem Jesus se sacrificou por nós. Ele representa a inocência, e a percepção inocente que é incapaz de projetar. Jesus exemplificou a irrealidade da morte, como também a mente pura, o amor e o perdão. O sacrifício é uma ideia contrária a tudo isso.

A percepção é do mundo, passa pelos filtros de crenças que trazemos e também pelo corpo. Por isso a percepção é falha, é temporária, depende de análise, interpretação e julgamento. A percepção pode ser equivocada, e o é na maioria das vezes, mas pode ser corrigida. A percepção corrigida é a percepção inocente. Significa ver verdadeiramente as coisas, tal como o milagre percebe. Isto é a mentalidade certa que não vê nada a não ser a perfeição.

Esta também significa a "visão", pois a mentalidade certa não vê e julga com os olhos do corpo, mas sim vê através da visão interior, de uma perspectiva inteiramente diferente, não julgadora, que vê o amor e a perfeição mesmo atrás do que parece ser o mal, a morte ou a imperfeição. Exemplificando vejam o depoimento do filme Human. Através da mentalidade certa/percepção inocente é possível chegar ao perdão. A inocência desfaz a separação e nos liga a vontade de Deus.

Conhecimento aqui é algo totalmente diferente do que conhecemos, aqui o conhecimento compete a Deus, e por isso é eterno e imutável. Representa a verdade de Deus. No conhecimento não resta dúvida alguma, apenas certeza. O conhecimento provê o pensamento, mas não a ação. O conhecimento de Deus traz a paz sem questionamentos, mas a percepção correta e os milagres estão intimamente ligados ao fazer. Antes de alcançar o conhecimento, que é anterior e será posterior a tudo, precisamos estar na mentalidade/percepção certa.

O ego é uma tentativa da mentalidade errada para perceberes a ti mesmo como desejas ser. A percepção consciente foi a primeira divisão da mente depois da separação, e é identificada como o domínio do ego. O ego foi feito ao invés de criado, é capaz de questionar, mas não tem acesso ao conhecimento. Por isso estamos sempre em dúvida. Em psicologia o ego é o gerente da mente neste mundo.

O ego é o diabo? Não nos é explicado como surgiu o ego, apenas que ele se torna um substituto para Deus após a separação, de forma que ele é um opositor a Deus, e defende a separação nos tornando cativos do mundo da forma.

Aqui autoridade significa ser "autor" de si mesmo, ou "autor" da vida. No entanto fomos criados por Deus, e por sua imagem e semelhança somos também criadores. O ego insiste na falsa autoridade de nós mesmos. Esta falsa autoridade - autoimagem - nos coloca sempre em posição de defesa ou ataque em relação ao mundo e nosso irmãos, e torna a paz impossível.

Comentários

Encontros em UCEM

Nossos encontros acontecem em Brasília, a 2 km do balão do aeroporto, nas quartas-feiras de 16 às 18 horas, e quintas-feiras de 19 às 21 horas, gratuitamente.
Entre em contato com Ana Liliam em analiliamventura@gmail.com e (61)98153-8369.